Você já deve ter ouvido dizer que açúcar é açúcar e deve ser consumido com moderação. E é bem verdade que quando acrescentamos açúcar em nossas receitas ou no cafezinho, devemos ter cautela, independentemente do tipo de açúcar. O que não quer dizer que os açúcares são todos iguais. Veja abaixo as diferenças entre os diferentes tipos:

Melado de Cana

É o primeiro produto obtido do caldo cana, sendo necessário apenas o seu cozimento, sem qualquer tipo de processamento químico. A partir do melado, surgem o açúcar mascavo e a rapadura.

Açúcar Mascavo

Obtido da secagem do melado da cana, sem utilização de aditivos artificiais. Preserva minerais como ferro, magnésio, cálcio, potássio e fósforo. Possui coloração escura e um cheirinho delicioso de melado de cana. Olha ele aqui.

Açúcar Demerara

Obtido da clarificação (sem aditivos artificiais) e centrifugação do caldo de cana. Ainda preserva parte dos nutrientes da cana e não contém resíduos químicos. Por ser mais claro, não afeta sabor e cor das receitas. Dá uma olhadinha na aparência dele aqui.

Açúcar Cristal

Obtido da centrifugação do caldo de cana, ainda é clareado com enxofre e soda cáustica. Por conta do processamento, perde nutrientes naturais da cana e possui resíduos químicos.

Açúcar Refinado

É o famoso açúcar branco, obtido do açúcar cristal dissolvido. Assim como o cristal, é tratado com enxofre e soda cáustica e tem perda de nutrientes.

Açúcar de Coco

Obtido da seiva do coqueiro e preserva as vitaminas e minerais da planta, sendo outra opção natural ao açúcar refinado. É um açúcar bruto, assim como açúcar mascavo, mas é interessante avaliar o custo-benefício, pois costuma ser bem mais caro.

Dica das nutris mãe-terráqueas: Sempre que possível, aproveite o sabor natural dos alimentos, dessa forma você se adapta mais facilmente ao sabor de preparações menos doces.

E quando optar pela utilização do açúcar, escolha sempre as versões menos processadas (sem uso de aditivos químicos artificiais) e que preservam seus nutrientes naturais.